ACPL Engenharia

Compliance: como, quando e por quê?

Em inglês, Tocomply, é um verbo que significa estar de acordo com uma regra, um comando ou uma instrução interna.

Existem leis e regulamentos que regem a forma de gerenciar negócios, como a lei nº 12.864/13 – Lei Brasileira Anticorrupção. Elas descrevem procedimentos e processos específicos que devem ser implementados em uma empresa. Seguir essas obrigações e estar em conformidade com elas passa por um planejamento e uma prática chamada Compliance.

Para garantir a qualidade e cumprir com todo o necessário, é importante realizar algumas ações, como:

·         Documentar os processos;

·         Prezar por uma estrutura organizacional específica;

·         Implementar políticas que orientam como a empresa opera.

Como implementar?

Tudo começa com o suporte e alinhamento da alta direção, após isso, é realizado uma análise dos riscos no cenário atual para compreender onde concentrar esforços e qual o “apetite ao risco” do negócio, ou seja, analisar quais as possíveis medidas serão tomadas para os riscos mapeados. Toda a análise é fundamental para a construção dos procedimentos, políticas e principalmente para o desenvolvimento do código de conduta.

Quando implementar?

A partir da etapa de análise concluída é que se inicia na prática o programa de Compliance, que nada mais é a gestão e monitoramento dos pontos que foram identificados nas análises de risco.

Quais as vantagens?

·         Aumento na qualidade dos produtos e serviços oferecidos;

·         Prevenção de possíveis fraldes;

·         Redução de custos;

·         Otimização dos níveis de segurança e governança corporativa;

·         Fortalecimento da marca;

·         Conquista de credibilidade dos consumidores, investidores e fornecedores.

Para garantir que as boas práticas sejam aplicadas, são sugeridas algumas certificações como: ISO 37001 que trata de mecanismos de gestão Antissuborno e a ISO 19600 que é mais generalista e ainda não é passível de certificação.

As empresas que não tem interesse em uma certificação, existe o programa da CGU (Controladoria Geral da União) chamado Pró-Ética, que tem o intuito de promover um ambiente corporativo transparente, íntegro e ético.

A reputação e a boa imagem de uma empresa é um reflexo do nível de Compliance que ela se propõe a seguir. Utilizar esse conceito para guiar as boas práticas da empresa cria um ambiente mais saudável e confiável para todos.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *