ACPL Engenharia

Segurança do Trabalho: a busca pela interdependência em 4 estágios

Atualmente um dos maiores desafios das empresas é reduzir a taxa de acidentes do trabalho e criar um ambiente seguro para os seus empregados. Quando buscamos melhor performance na gestão de segurança, pensamos logo na compreensão do comportamento dos empregados e na implementação da cultura de segurança em todos os níveis da empresa.

 Devemos entender que, a cultura de segurança vai além das definições de regras e procedimentos operacionais. Para que a evolução seja percebida é fundamental mapear, controlar e eliminar os comportamentos inseguros. Mas, como fazer isso?

 Em meados de 1995, a DuPont, empresa pioneira em gestão de Segurança do trabalho, criou um sistema que possibilita uma melhor compreensão das fases de maturidade de segurança. O sistema desenvolvido recebeu o nome de Curva de Bradley, trata-se de uma ferramenta que identifica quatro estágios da maturidade de cultura de segurança no trabalho.

 Os quatro estágios são:

 Reativo: Os empregados não percebem a segurança do trabalho como valor, as ações de prevenção são realizadas somente após alguma ocorrência indesejável.

 Dependente: A importância de aplicar os processos de segurança para evitar o acidente é percebida pelo empregado, contudo as ações de prevenção são estimuladas pela liderança.

 Independente: A segurança é entendida como um valor pessoal, os empregados assumem a responsabilidade em realizar a própria segurança.

 Interdependente: A segurança do trabalho é percebida como valor organizacional, nesse estágio há responsabilidade pela segurança individual e coletiva e é aplicado o cuidado ativo genuíno – Cuidar do outro, cuidar de si e deixar ser cuidado!

 A Curva de Bradley é uma ferramenta útil e importante para a análise de maturidade da segurança nas empresas. Porém, cabe ressaltar que, ao atingir o estágio da interdependência, os esforços para manter a cultura de prevenção devem ser constantes, através de: campanhas, diálogos diários de segurança, auditorias comportamentais, treinamentos e eventos que demonstrem para a equipe a evolução alcançada, dentre outros.

“Para atingir o sucesso e a mudança de comportamento de todos, a cultura deve ser implementada a partir da alta liderança para a base, gerando a motivação pelo exemplo.” Diz André Alves, Engenheiro de Segurança do Trabalho do Grupo Acoplation.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *